Heresia

O QUE DISTINGUE A DOUTRINA SAGRADA DAS INÚMERAS DOUTRINAS HUMANAS?

A Doutrina de Cristo é indispensável para instituir a compreensão viva e eficaz de todo conteúdo da revelação, dos mistérios da relação entre o ser humano e o seu Criador, e do projeto Divino para restabelecer sua justiça e misericórdia sobre toda humanidade: “[...] porque é sã a Doutrina que vos dou, não abandoneis o meu ensino. ” (Provérbios 4, 2)

Para salvação é necessária uma DOUTRINA SAGRADA, conforme a revelação Divina, para ordenar a raça humana à ciência das Verdades de Cristo, e o fim para qual fora criada que é a vida contemplativa junto a Deus.

Está escrito, que “[…] todo aquele que caminha sem rumo e NÃO PERMANECE na DOUTRINA1 DE CRISTO, NÃO TEM DEUS. Quem PERMANECE NA DOUTRINA, este POSSUI o PAI e o FILHO. ” (II S. João 1, 9)

E ainda, que “[…] o teu ensinamento, PORÉM, SEJA conforme a SÃ DOUTRINA. (Tito 2, 1); e “[…] se alguém VIER A VÓS SEM TRAZER ESTA DOUTRINA, NÃO O RECEBAIS EM VOSSA CASA, nem o saudeis. ” (II S. João 1, 10)

A Doutrina de Cristo é indispensável para instituir a compreensão viva e eficaz de todo conteúdo da revelação, dos mistérios da relação entre o ser humano e seu Criador, e do projeto Divino para restabelecer sua justiça e misericórdia sobre toda humanidade[1]:

“[…] porque é sã a Doutrina que vos dou, não abandoneis o meu ensino. ” (Provérbios 4, 2)

O apóstolo São Paulo, chega a identificar a Doutrina sagrada como sendo uma personificação do próprio Cristo:

“Saulo, Saulo, porque ME PERSEGUES? Saulo disse: – Quem és, Senhor? Respondeu Ele: EU SOU JESUS, A QUEM TU PERSEGUES. ” (Atos 9, 5)

“Eu PERSEGUI DE MORTE ESSA DOUTRINA, prendendo e metendo no cárcere homens e mulheres. ” (Atos 22, 4)

Mas a DOUTRINA SAGRADA não nasce de meras opiniões, nem das retóricas filosóficas ou das simples ideologias[2] tiradas de interpretações pessoais das Escrituras, como pensam os protestantes. 

Conforme ensina o Catecismo: “a síntese da fé não foi elaborada segundo as opiniões humanas.”[3]

Assim não fosse, então poderíamos criar tantas “doutrinas e verdades sagradas” quantas fossem as interpretações particulares[4] das Escrituras, criando múltiplas  crenças  religiosas,   sujeitas às mais variáveis transformações e divisões, de acordo com a conveniência interpretativa de cada indivíduo.

Ensina Santo Tomás:

“A Doutrina Sagrada excede as outras ciências especulativas quanto a certeza, porque as outras ciências buscam a certeza pelo lume natural da razão que pode errar. A dúvida sobre os artigos da fé provém exclusivamente da fraqueza do intelecto. ” (Suma Teológica, Livro Ia. Q 1, art. 5º Da Doutrina Sagrada)

Por não ter sua geração no intelecto humano é que a Doutrina santa e celestial consiste exclusivamente nos FATOS SOBRENATURAIS que Deus produziu na história da humanidade para gerar nos indivíduos a salvação.

Por isso, é o conjunto de verdades, leis e princípios eternos essencialmente dogmáticos,[5] isto é,  IMODIFICÁVEIS ao arbítrio humano, por restarem firmados em fatos consumados no tempo e espaço, e não em ilações perigosas de pensamentos ou conclusões interpretativas inconstantes, de acordo com o critério personalíssimo de cada intérprete, criando desse modo pluralíssimas ideias sobre Deus e uma falsa noção do direito à escolha livre de quaisquer dessas ideologias pelos indivíduos:

https://magisteriotradicaoescrituras.com/2018/09/18/heresia-idolatria-cisma-e-outros-pecados-contra-a-fe/

Ensinou o Doutor Angélico:

“[…] atendendo às matérias tratadas, e NÃO AO PONTO DE VISTA, a esta ciência assinalaram outros objetos, como a REALIDADE e SÍMBOLOS ou as OBRAS da reparação. ” (Suma Teológica, Livro Ia. Q 1 art. 7, Da Doutrina Sagrada – in Santo Tomás de Aquino)

O intelecto não alcança, senão até onde esteja limitado, razão porque, para se eximir dessa falibilidade intelectual é que a verdadeira Doutrina de Cristo se origina de três pilares harmônicos, indivisíveis, imutáveis, organicamente conectados e que se iluminam mutuamente, cuja ordem assim se apresenta: 

FATOS, SINAIS e LINGUAGEM.

A primeira fonte da Doutrina está no FATO (rebus).

A segunda nos SINAIS (signum) derivados desse fato, e só daí então, teremos a LINGUAGEM (ad verbum) como terceira e última fonte, em sintonia com as demais.

Ensina Santo Agostinho:

“Toda Doutrina se reduz ao ensino das COISAS e dos SINAIS. Denomina-se sinais toda coisa que se emprega para significar algo além de si mesmo. ” (Da Doutrina Cristã. Cap. II, p. 21)

Consta também nas Escrituras:

“Não imiteis o procedimento dos pagãos; NEM TEMAIS OS SINAIS CELESTES, COMO TEMEM OS PAGÃOS. ” (Jeremias 10, 2)

“Como escaparemos nós se agora desprezarmos a MENSAGEM DA SALVAÇÃO, tão sublime, ANUNCIADA primeiramente pelo Senhor e depois confirmada pelos que a ouviram, COMPROVANDO-A O PRÓPRIO DEUS, POR SINAIS, prodígios, milagres e pelos dons do Espírito Santo, repartidos segundo a sua vontade? ” (Hebreus 8, 3,4)

Antes de explanar no que consiste cada uma dessas fontes primárias da Doutrina, tomemos uma explicação que servirá de paradigma:

A crucificação é um FATO DIVINO IRREVOGÁVEL:

“Está tudo consumado. (Jo 19. 30) ”

Desse fato imodificável e irrevogável no tempo e espaço, se produziu um certo SINAL SOBRENATURAL por meio da água:

“Um dos soldados abriu-lhe o lado com uma lança e imediatamente saiu sangue e ÁGUA. ”  (S. João 19, 34)

“Ei-lo Jesus, AQUELE QUE VEIO PELA ÁGUA. ” (I S. João 5.6) 

E na harmonia perfeita entre o fato e o sinal, retira-se uma única LINGUAGEM para o ensino da Doutrina revelada tanto por esse fato, quanto por esse sinal:

“Ou ignorais que todos os que FOMOS BATIZADOS em Jesus Cristo, fomos BATIZADOS NA SUA MORTE? ” (Rm 6. 3) 

“Ele nos SALVOU MEDIANTE o BATISMO DE REGENERAÇÃO E RENOVAÇÃO pelo Espírito Santo. ” (Tito 3. 5) 

“Quem CRER E FOR BATIZADO SERÁ SALVO, mas quem não crer será condenado. ” (São Marcos, 16, 16) ”

Logo, aquele que nega o Batismo como sinal (SIGNUM) sagrado, provindo (EX FACTUM) do sacrifício de Cristo, apontando-o com simples “ordenança” ou ritual inútil para salvação, ensina empregando linguagem errônea, desordenada dos fatos e dos sinais deixados por Deus, caindo em apostasia.

https://magisteriotradicaoescrituras.com/2018/12/11/o-batismo-recolhe-sua-eficacia-salvifica-do-sacrificio-e-da-ressurreicao/

Noutro exemplo, a Encarnação do Verbo, gerado numa humanidade, é fato irrevogável:

“E o Verbo era Deus, e o Verbo se fez Carne e habitou entre nós. ” (São João 1.1 a 14)

Desse fato sobrenatural gerou-se um sinal, também sobrenatural, que é a Maternidade da Virgem Mãe:

“Por isso, o próprio Senhor vos dará UM SINAL: uma virgem conceberá e dará à luz um Filho, e o chamará DEUS CONOSCO. ” (Isaías 7, 14)

Logo, na linguagem da revelação, a Maternidade extraordinária de Cristo fora instituída para testemunhar que no Filho, Deus verdadeiramente se fez homem, pois só sendo homem para nascer de mulher, do que se conclui, que negar que Cristo seja Deus e simultaneamente homem perfeito e verdadeiro, e que a Virgem Maria seja de fato, a Mãe do Deus Encarnado, resulta de interpretação que acolhe linguagem inadequada, em desconformidade com o fato e o sinal.

Não se pode mudar a Doutrina, posto ser impossível mudar o fato sagrado e o sinal que dele advém, e pelos quais toda linguagem doutrinária nos chega até os dias atuais.

Sinais são como PALAVRAS VISÍVEIS.

CRISTO é a Palavra de Deus Encarnada[6] pois Dele se extraíram sete sinais que perfazem a coluna basilar da DOUTRINA SANTA vinda do Céu, a qual emanou do seu próprio Corpo, por meio de três fatos sobrenaturais:

“Encarnação do Verbo, Sacrifício do Cordeiro e Ressurreição da Carne.”

Toda verdade doutrinária Divina, deriva apenas desses três fatos, três manifestações de Deus na história humana.

“Povos, escutai bem! Nações prestem-me atenção! Pois DE MIM que EMANARÁ A DOUTRINA e a verdadeira RELIGIÃO que será a luz dos povos. ” (Isaías 42.4)

“Porque de Sião saíra a DOUTRINA; e de Jerusalém a PALAVRA do Senhor. ” (Miqueias 4, 2)

Os que não reconhecem os sinais, e em especial, os SETE SINAIS, e lhes negam autoridade redentora, não reconheceram a própria Doutrina Santa, porquanto ainda não discerniram Cristo:

“Vi também na mão direita de quem estava assentado no Trono, um Livro escrito por dentro e por fora, SELADO COM SETE SELOS. (Apocalipse 5. 1)”

“Quem é digno de abrir e desatar os selos? O Leão da Tribo de Judá, o DESCENDENTE DE DAVI, achou meio de abrir o Livro E DESATAR OS SETE SELOS. (Apocalipse 5. 2 e 5)”

Portanto, a linguagem não pode se infalivelmente compreendida enquanto separada, e à míngua da luz dos fatos e dos sinais santos que constituem a Doutrina Ungida.

Não por outra razão, a DOUTRINA é mais prática que teórica, se manifestando por meios dos sinais (selos) ou sacramentos:

“[…] sede pois, PRATICANTES DA PALAVRA, e não ouvintes tão somente. ” (São Tiago 1, 22)

Necessário compreender que a PALAVRA MAIOR (VERBO) é o próprio Cristo, encarnado, sacrificado e ressurreto.

“E O VERBO SE FEZ CARNE e habitou entre nós” (São João 1,1 a 4).

“O nosso Evangelho vos foi pregado NÃO SOMENTE POR PALAVRA, mas também com ATO.[7] “(I Tess 1, 5)

Na praticidade da Doutrina reside sua perfeição.

A DOUTRINA SAGRADA existe, e quem a pratica, ainda que não tenha noção intelectual perfeita e completa, mas traz em si a FÉ naquilo em que opera, está apto a salvação.

Todo aquele que se batiza, mesmo não compreendendo o que seja o Batismo, mas crê nos efeitos que esse sinal sacramental realiza, está em comunhão com o fato doutrinário essencial à salvação, que é SACRIFÍCIO de Cristo.

https://magisteriotradicaoescrituras.com/2018/11/22/apenas-o-batismo-nos-livra-do-pecado-original/

Por ser PALAVRA ENCARNADA (Deus materializado), Cristo não compôs sua Doutrina apenas de linguagem (sermão da montanha), mas principalmente dos FATOS OBJETIVOS (Encarnação, Sacrifício e Ressurreição), os quais nos revelou e compartilhou esses fatos por SINAIS VISÍVEIS e MATERIAIS, presentes nos sacramentos.

Sua DOUTRINA é em essência composta dos fatos, dos sinais e linguagem, sendo que preponderam os fatos e sinais (batismo, confissão penitência, eucaristia, matrimônio indissolúvel, caridade e outros).

Dos fatos e sinais provém a linguagem da interpretação autêntica de toda Escritura, desvendada pelo Magistério Infalível da Igreja:

Diz Santo Agostinho:

“[…] os SINAIS que nos foram COMUNICADOS POR DEUS, e que se encontram nas Sagradas Escrituras, também nos foram comunicados pela palavra dos homens. ”

E continua:

“Suponhamos que somos peregrinos e que não podemos ser felizes a não ser em nossa pátria. Seriam necessários MEIOS DE CONDUÇÃO. É desse modo que peregrinamos para Deus nessa vida mortal, por meio das COISAS CRIADAS, COMPLETAMOS AS COISAS INVISÍVEIS DE DEUS. ” (Da Doutrina Cristã. Livro II, Cap. II e III, p. 43 e 45)

No âmbito da Doutrina sagrada, denomina-se sinal todo efeito visível e material do fato sagrado que Deus constitui para nossa salvação.

Não por outra razão, a raça humana só discerne e comunica plenamente com Deus pelas três fontes da DOUTRINA, sem desprezar nenhuma delas.

O protestantismo não tem a única, verdadeira e fidedigna Doutrina sagrada, mas ideologias religiosas, contraditórias e distintas em seu corpo eclesiástico dilacerado.

Os que seguem doutrinas espúrias, e não a Doutrina que emana de Deus Vivo e Encarnado, professam uma ideia falsa de Deus, cultuando e adorando um ídolo criado pela mente humana:

“Porque virá tempo em que NÃO SUPORTARÃO A SÃ DOUTRINA; mas, tendo comichão nos ouvidos, AMONTOARÃO PARA SI DOUTORES CONFORME AS SUAS PRÓPRIAS CONCUPISCÊNCIAS; ” (II Tm 4.3)

Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, DANDO OUVIDOS A ESPÍRITOS ENGANADORES, e a doutrinas de demônios; (I Tm 4.1) ”

O surgimento das inúmeras ideologias religiosas cismáticas, fora profetizado pelos Apóstolos:

“Rogo-vos, irmãos, QUE DESCONFIEIS DAQUELES QUE CAUSAM DIVISÕES e escândalos, APARTANDO-SE DA DOUTRINA QUE RECEBESTES. Evitai-os! ” (Rm, 16, 17)

“SE ALGUÉM PREGAR DOUTRINA DIFERENTE DA QUE RECEBESTES, SEJA ELE EXCOMUNGADO! ” (Gálatas 1, 9)”

“Tomai meu jugo sobre vós e RECEBEI MINHA DOUTRINA. ” (São Mateus 11, 19) ”

O que há da Doutrina Sagrada no protestantismo, reside no que não negaram da Igreja Católica, esta sim, a Única e Fiel Depositária das Verdades Celestiais:

“Sei em quem pus minha confiança, e estou certo de que é assaz poderoso para guardar meu depósito até aquele dia. (II Timóteo 1, 12)

“Guarda o precioso depósito, pela virtude do Espírito Santo que habita em nós. (II Timóteo 1, 14) “para que saibas como convém andar na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade. (I Tm 13. 15) ”

Pois como dito a Igreja de Roma, Santa, Única e Apostólica:

“Mas graças a Deus que, tendo sido servos do pecado, OBEDECESTES DE CORAÇÃO À FORMA DE DOUTRINA A QUE FOSTES ENTREGUES. (Rm. 6.17) ”

Estou pessoalmente convencido, meus irmãos, de que estais cheios de bondade, CHEIOS DE UM PERFEITO CONHECIMENTO,  capazes de vos admoestar uns aos outros. (Rm 6, 17) ”

“O Deus da Paz não tardará a esmagar satanás DEBAIXO DOS VOSSOS PÉS.”  (Rm 16, 20) 

“Primeiramente, dou Graças a meu Deus, por meio de Jesus Cristo, por todos vós, porque em TODO MUNDO é preconizada a VOSSA FÉ.” (Rm. 1, 8, datação 47 a 60 DC)

Neste compasso, repousa o axioma: “extra ecclesiam nulla salus”


[1] Didáskó ou didaché (διδαχή) instrução, matéria ou ato que ensina de modo confiável. http://biblehub.com/greek/1322.htm

[2] Ideologia é o conjunto de ideias, ensinamentos ou doutrinas abstratas de visão do mundo, segundo a ótica de indivíduo ou grupos em suas “certezas” pessoais e teóricas. Difere da filosofia, pois esta tem como alcance a busca da verdade real.

[3] CATECISMO D. 45. DOUTRINA SAGRADA.

[4] II Pe 1, 20: “antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal. ” A palavra profecia (προφητείας) aqui empregada, (prophetéia) não no sentido de profecia pública ou REVELAÇÃO.

[5] Dogma ou verdades irrevogáveis que entre si possuem uma conexão fática necessária. Catecismo §§ 88 D39.

[6] Verbo ou Logo (λόγος), significa pensamentos materializados em ações transitivas. É o a palavra ou sabedoria em movimento.http://biblehub.com/greek/3056.htm

[7] PODER ou energia aquilo que move a palavra para a ação. Aquilo que cristo move operar no homem. (Dumanei no grego) Atos de poder. Ato miraculoso (δύναμις), maravilhas, PRODÍGIOS que demonstram o poder físico de Deus sobre a matéria. http://biblehub.com/lexicon/1_thessalonians/1-5.htm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s