Heresia

HERESIA, IDOLATRIA, CISMA E OUTROS PECADOS CONTRA A FÉ

Não pode haver mais de um Cristo, razão porque não pode ter mais de uma Doutrina que Dele emana: “Povos, escutai bem! Nações, prestai-me atenção! Pois é DE MIM que EMANARÁ A DOUTRINA e a verdadeira religião que será a luz dos povos. (Is 51, 4)

 

Heresia, em grego haíresis (αἵρεσις), vem de eleição, quando cada indivíduo ou grupo pseudo cristão, escolhe para si uma doutrina nova ou parte da Doutrina Sagrada que julga ser melhor ou mais conveniente, opondo-se ao Mestre que assim preceituou:

 “ENSINAI A OBSERVAR TUDO O QUE PRESCREVI. ” (São Mateus 18. 17 e 18)

O pecado da heresia coloca o ser humano sob o governo de si próprio, como se detentor de alguma autoridade para exercer juízo do que seja ou não válido no âmbito da Verdade Revelada por Deus, depositada e guardada incólume em sua Única e Santa Igreja Apostólica pelo PODER DAS CHAVES:

 “E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela; Eu TE DAREI AS CHAVES DO REINO DOS CÉUS: TUDO O QUE LIGARES NA TERRA SERÁ LIGADO NOS CÉUS, E TUDO O QUE DESLIGARES NA TERRA SERÁ DESLIGADO NOS CÉUS.” (São Mateus 16. 16 e 17)”

“Guarda o PRECIOSO DEPÓSITO, pela Virtude do Espírito Santo que habita em nós. (II Tm 1, 14) ”

“ E se RECUSAR OUVIR TAMBÉM A IGREJA, seja ele para ti como um PAGÃO ou um publicado. Em verdade vos digo: Tudo o que ligardes sobre a terra será ligado no céu; e tudo o que desligardes sobre a terra será desligado no céu. ” (São Mateus 16; 17 e 18)

A soberba do tino e a presunção em acreditar que se pode compreender Deus sem o auxílio da sua Santa, Única e Una Igreja, coluna e sustentáculo da Verdade em matéria de fé (I Tm 3.15), criam falsas doutrinas, fé ilusória, falsos batismos e conceitos inventados sobre Deus, gerados da enganosa confiança de pressupor que o discernimento natural seria capaz de elucidar a Doutrina sobrenatural emanada do próprio CRISTO, a qual Ele produziu em sua própria Carne:

“Respondeu-lhes Jesus: A minha Doutrina não é minha, mas daquele que me enviou. (São João 7, 16)”

“Porque de Sião sairá a DOUTRINA, e de Jerusalém a PALAVRA do Senhor.[1] (Miqueias 4, 2)”

“Aquele que teme o Senhor ACEITARÁ a sua Doutrina. (Provérbios) ” — “Porque é Sã a Doutrina que vos dou, não abandoneis o meu ensino. (Eclesiástico 32.18)

A heresia caminha de mãos dadas com outros vícios da fé, dentre os quais, a infidelidade, incredulidade, o cisma e a idolatria.

Ora, o herético cria, divulga, persuade, ensina e se mantém em suas opiniões particulares, novas e falsas sobre a Verdade Revelada.

A heresia é a fé na própria fé.

E crendo em si mesmo, em seus conceitos, ideias e convicções, pela confiança soberba em seu juízo precário, o herético atribui-se falsa autoridade para dizer o que é “certo ou errado” não segundo o Mandamento Divino dado à Igreja, mas consoante sua própria vontade e inclinações.

Assim, quando Cristo diz do Matrimônio como união indissolúvel[2] entre homem e mulher,  e alguns religiosos ou seitas aceitam o divórcio, e ainda realizam “matrimonio” entre pessoas do mesmo sexo, sem pudor ou remorso, na convicção de que podem assim agir, tornam as suas crenças e ensinos “superiores” ao próprio Deus, fazendo-se “deuses” si mesmo para valerem suas vontades como preceito.

Igualmente, quando Cristo diz do sacramento do Batismo como instrumento para salvação,[3] e alguns não se batizam, ou quando batizam negam o efeito transcendente do ato, reduzindo-no a uma simples ordenança litúrgica, estão se autoproclamando juízes do JUIZ, e das verdades ensinadas pelo Salvador.

Não adiante “confessar” uma “fé” sem ter aderido aos preceitos desta, pois a fé não é fim em si, mas meio de Comunhão com as verdades salvíficas:

“apenas com palavras, sem atitude, apenas com o mover dos lábios, mas o seu coração se afasta de mim.” (Isaías 29.13)

Todo superficial se opõe ao substancial.

Todo falso se opõe ao verdadeiro.

E a Verdade se caracteriza por ser eterna e imutável ao arbítrio humano.

Não pode haver mais de um Cristo, razão porque não se pode ter mais de uma Doutrina que Dele emana:

“Povos, escutai bem! Nações, prestai-me atenção! Pois é DE MIM que EMANARÁ A DOUTRINA e a verdadeira religião que será a luz dos povos. (Is 51, 4) “

A multiplicidade de doutrinas, implica numa multiplicidade de “cristos” que deflui numa multiplicidade de falsos deuses.

Só a Doutrina Celestial é que nos revela Jesus Cristo, e ninguém poderá conhecer e interagir com Deus, senão por meio dela, pois o que adora Cristo numa doutrina falsa, adora um falso cristo, um ÍDOLO, criado pela mente humana.

“EM VÃO, pois, me CULTUAM, porque ensinam doutrinas e preceitos humanos. (São Marcos 7, 7)”

“Mesmo dentre vós surgirão homens que hão de proferir doutrinas perversas, com o intento de arrebatarem após si os discípulos. (Atos 20, 30)”  

“Torno a lembrar-te a recomendação que te dei, quando parti para a Macedônia: devias permanecer em Éfeso para impedir que certas pessoas andassem a ensinar doutrinas extravagantes, (I Timóteo 1, 3)”

“O Espírito diz expressamente que, nos tempos vindouros, alguns hão de apostatar da fé, dando ouvidos a espíritos embusteiros e a doutrinas diabólicas, (I Timóteo 4, 1) ” “[…] a adoração que me prestam é constituída tão somente de regras e doutrinas criadas por homens; (Is 29.13)” 

O princípio da idolatria é substituir DEUS VERDADEIRO, CRISTO VERDADEIRO, por um falso cristo, falso deus, criado pela noção errônea da doutrina, gerando uma criação imaginária, uma entidade que não se harmoniza com o Ente Divino.

A partir da criação mental do ídolo ou falso cristo, o que não é tolerado pela Igreja, surge entre os que não se arrependem, a cisão, divisão, ruptura com o Corpo de Cristo que é a SANTA IGREJA:

“Cristo é o chefe da Igreja, SEU CORPO, da qual ele é o Salvador. (Efésios 5, 23)”

Ensina Santo Tomás de Aquino: “A Igreja, porém, usa de misericórdia para a conversão dos errantes, e não o condena imediatamente, mas só depois da primeira ou segunda exortação. Porém, continuando o herético pertinaz, a Igreja, não mais lhe esperando arrependimento, e PARA PROTEGER A SALVAÇÃO DOS OUTROS, o separa pela sentença de excomunhão. (Suma Teológica, Q 11, art. 3 Da Heresia) ”

Porquanto, tais homens são falsos apóstolos, obreiros desonestos, fingindo-se apóstolos de Cristo.  (II Cor 11.13) ”

 “Eles saíram do nosso meio, mas na realidade não eram dos nossos, pois se fossem dos nossos, teriam permanecido conosco; o fato de terem nos abandonado revela que nenhum deles era realmente dos nossos. (I São João 2.19) ”

“Quem, portanto, se conservar puro e isento dessas doutrinas, será um utensílio nobre, santificado, útil ao seu possuidor, preparado para todo uso benéfico. (II Timóteo 2, 21) ”

“Não vos deixeis desviar pela DIVERSIDADE DE DOUTRINAS ESTRANHAS.(Hebreus 13, 9) ” 

Hoje em dia, toda cizânia com a Igreja e a Santa Doutrina, além do surgimento de milhares de seitas e doutrinas diversas, tem como fonte o erro chamado “livre exame das escrituras” nascido com a rebelião protestante.

As Sagradas Escrituras devem ser lidas por todos.

Mas lidas através da interpretação da Igreja.

Se as Escrituras, em matéria de fé revelada, são infalíveis, por certo necessitam também de uma interpretação infalível.

A infalibilidade da letra, exige a infalibilidade da interpretação.

Não somos, cada um individualmente, infalíveis em questões da Sagrada Doutrina, pois somente a Igreja o é:

“quero que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é a Igreja de Deus vivo, COLUNA e SUSTENTÁCULO da VERDADE.” (I Timóteo 3.15)

 “Filipe aproximou-se e ouviu que o eunuco lia o profeta Isaías, e perguntou-lhe: Porventura ENTENDES O QUE ESTÁS LENDO? Respondeu-lhe: Como é que posso, se NÃO HÁ ALGUÉM QUE ME EXPLIQUE? (Atos 8. 30 e 31) ”

O Primaz dentre os Apóstolos, e Primeiro Chefe Temporal da Igreja também advertiu que a revelação divina não é de particular interpretação:

“ Nenhuma PROFECIA [4] é de particular interpretação.” (II Pe 1. 20)

A quem fora dada a Escritura, também fora a interpretação fiel, no caso, só a Igreja Católica, Apostólica e Romana.

Ensina São Tomás:

“quem interpreta as Escrituras diferente do exigido pelo Espírito Santo, lhe perverte o sentido de modo a contrariar o que foi revelado. ”

E quanto as matérias da fé revelada, disse ainda ele:

“depois de definidas PELA AUTORIDADE DA IGREJA UNIVERSAL, quem as impugna deve ser considerado herético pertinaz, ” (Suma Q 11 art. 2 Da Heresia)

Assim, toda opinião falsa sobre a doutrina, corrompe e vicia a fé com pecados gravíssimos, razão porque, das doutrinas não ensinadas pela Santa Igreja, devemos seguir esse conselho:

“Não toques! “Não proves! Não manuseies!” (Col. 2,21)

“Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si. (II Timóteo 4, 3)

_________________________________

1] Sião é referência ao sacrifício do Cordeiro; Jerusalém é referência ao seu Ministério.

[2] JESUS DISSE: – Quem repudiar a sua MULHER e casar-se com outra COMETE ADULTÉRIO. (Lc 16.18). Mas o protestantismo aceita o divórcio e o segundo casamento, como ainda o casamento entre pessoas do mesmo sexo. 

https://noticias.gospelmais.com.br/aumenta-igrejas-apoiam-casamento-gay-73910.html

[3] Aquele que crê e for batizado será salvo, mas o que não crer será condenado. (Mc 16.16)

[4] Profeteuó no grego, que não implica apenas em profecia particular, mas no sentido de um ensino que vem de algo superior.

 

divina comédia
A ressurreição dos condenados, obra de Salvador Dali.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s