Mariologia

MARIA E A ORIGEM BIOLÓGICA DO CRISTO

Conforme as Escrituras, “ninguém jamais viu Deus. (Jo 1. 18)”

E como ensinou Santo Agostinho, citado por Santo Tomás, em sua obra Tratado do Verbo Encarnado, “nada foi tão necessário para reavivar nossa esperança na salvação, que a demonstração do quanto Deus nos ama. E qual Maior Causa de amor, que ter o Filho de Deus se Dignado entrar em consórcio com a nossa natureza?”

Então, Deus se fez Homem pelo Filho, e habitou entre nós.

O Deus Criador, antes jamais visto, Encarnava agora a Natureza Visível da sua criatura: — “O Filho único, que está no seio do Pai, foi quem o revelou. (Jo 1. 18)”

“O Pai do Nosso Senhor, que por meio dos Profetas prometeu enviar o precursor, tornou VISÍVEL a toda carne a sua Salvação; isto é, o próprio VERBO FEITO CARNE.” (Adversus Haereses Livro II, p. 268, S. Ireneu de Lion, anos 130-220 DC)

Cristo é assim, o próprio Deus Encarnado que se tornou Homem no ventre da Virgem, para que toda humanidade testemunhasse as Misericórdias Divinas.

Mas de onde viria o material biológico do Cristo?

Do céu, como ensinavam os gnósticos e valentinianos?1 Ou da matéria adâmica terrena existente desde a criação?

São Paulo já havia esclarecido que:

“JESUS CRISTO, Nosso Senhor, descendente de Davi quanto à CARNE,2 (Rm 1. 3)”

No grego, a palavra carne ou sarx (σάρξ) significa da parentela, segundo a natureza do ser.

“Lembra-te de JESUS CRISTO, saído da ESTIRPE3 DE DAVI, […] (II Tim 2. 8)”

Já extirpe ou spermatoV (σπέρμα) quer dizer da origem, prole da semente familiar.

Deus, no Filho, fez-se semelhante a nós. (Rm 8.3)4

Mas não existe uma humanidade constituída semelhante, sem o vínculo na humanidade preexistente, na qual se assemelha.

Por esta razão, as Escrituras ensinam que a NATUREZA DIVINA do Cristo veio do Céu5 (I Cor. 15. 47), sendo que a Natureza Humana é remanescente da própria natureza adâmica, senão não seria semelhante, mas outra Natureza:

“Os patriarcas; deles DESCENDE CRISTO, segundo a CARNE, o qual é, sobre todas as coisas, DEUS Bendito para sempre. (Rm 9. 5)”

Leciona Santo Tomás de Aquino:

“De dois modos dizemos que Cristo desceu do céu. — Primeiro, em razão da Natureza Divina; não que a Natureza Divina deixasse por isso de estar no céu, mas porque começou a existir de maneira nova no mundo inferior, isto é, segundo a natureza assumida: Ninguém subiu ao céu senão aquele que desceu do céu, a saber, o Filho do homem, que está no céu. — de outro modo, em razão do corpo; não porque o corpo mesmo de Cristo na sua substância, descesse do céu, mas porque o seu Corpo foi formado por Virtude Celeste, isto é, do Espírito Santo.” (Suma Teológica, Q 5ª livro III, art. 1, Da Assunção das Partes)

Em sua relação sanguínea, Cristo é da parentela de Abraão e Davi, pois deste tomaria a Linhagem Real; daquele o Sacerdócio Profético, porque como dito:

“veio socorro, não dos anjos, E SIM DA RAÇA DE ABRAÃO. (Hb 2, 16)”

Por onde São João advertia: 

 “Nisto se reconhece o Espírito de Deus: todo espírito que proclama que Jesus Cristo se Encarnou é de Deus; todo espírito que não proclama Jesus, esse não é de Deus, mas é o espírito do anticristo de cuja vinda tendes ouvido, e já está agora no mundo. (I Jo 4. 2 e 3)”

Esclarece ainda Santo Tomás:

“Cristo era especialmente considerado “filho” desses dois patriarcas antigos, Davi e Abraão, porque a eles foi especialmente feita a promessa da descendência de Cristo. Assim foi dito a Abraão: Todas as gentes da terra serão benditas naquele que proceder de ti. E a Davi foi dito: Do fruto do teu ventre porei sobre o teu Trono. Abraão foi sacerdote, donde se concluiu das palavras que o Senhor lhe disse: toma-me uma vaca de três anos (sacrifício). Foi também profeta, como está escrito: aquele será o profeta que tomará o seu lugar. Também Davi foi rei e profeta.” (Suma Teológica, Tratado da Encarnação do Verbo Q 5ª art. 2°)

Pela vinculação ancestral lhe veio a Herança Patriarcal e Profética.

Assim, sem dúvida, a Encarnação do Verbo no ventre da Santíssima, tomando dela o material genético, fora necessária ao cumprimento das profecias.

Explicou Santo Tomás:

“Pelas mesmas razões pelas quais demonstramos que a Natureza Humana de Cristo não devia ser um corpo ficto, resulta que também não devia ser celeste, pois — Primeiro: porque assim como a natureza verdadeiramente humana não existiria em Cristo se o seu corpo fosse ficto, como ensinavam os maniqueus, assim também não o seria se o seu corpo fosse celeste, como ensinava Valentino. Ora, sendo a forma do homem uma realidade natural, exige uma determinada matéria a saber, carnes e ossos, que é mister introduzir na definição do homem, como está claro no Filósofo; — Segundo, porque se o Filho de Deus tivesse assumido um corpo celeste, não teria tido verdadeiramente fome, nem sede, nem teria sofrido a paixão e a morte. — terceiro, também contrariaria à Verdade Divina. Pois, o Filho de Deus, tendo se manifestado aos homens COM UM CORPO DE CARNE E TERRESTRE, teria se manifestado falsamente, se tivesse corpo celeste. Por isso, nasceu o Filho de Deus, RECEBENDO A CARNE DO CORPO DE UMA VIRGEM, E NÃO TRAZENDO-A DO CÉU CONSIGO. (Suma Teológica, Q 5ª art. 1º)

A Concepção, Encarnação e o Nascimento do Cristo, aconteceu por meio da Mulher, porque essa seria o principal instrumento de Cristo no Plano da Salvação, pois dentre outras coisas, dela haveria de ser recolhido o material biológico que o ligaria à Família Real de Davi:

“o Senhor jurou com verdade a Davi, e não há de se apartar dela. Do fruto do teu ventre6 colocarei sobre teu trono.” (Salmo 131, 11)

Essa profecia se relaciona a uma geratriz do sangue e da linhagem real davídica.

Outra profecia ligando a descendência de Davi ao Cristo por meio da geração da Santíssima Virgem Maria, vemos em Isaías:

“13. OUVI, CASA DE DAVI:7 Não vos basta fatigar a paciência dos homens? Pretendeis cansar também o meu Deus? 14. Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma Virgem conceberá e dará à Luz um Filho, e o chamará Deus Conosco.” (Is 6, 14)

A ascendência parental de Maria pela linhagem real de Davi, está ainda no Evangelho de São Lucas.

Belém era cidade natal de Davi. (I Sam. 16)

Todos os judeus, inclusive a judia Maria,  ao tempo da dominação romana, teriam que se alistar na cidade de seus ancestrais, e por isso “José subiu da Galileia, da cidade de Nazaré, à Judeia, à Cidade de Davi, chamada Belém, porque era da CASA E FAMÍLIA DE DAVI, para SE ALISTAR COM A SUA ESPOSA MARIA que estava grávida.” (Lc 2. 1 à 5)

Colheu-se dela, todo elemento genético que ligava o Verbo Encarnado à descendência dos antigos patriarcas, como diz Santo Irineu:

“O Senhor jurou a verdade a Davi, e não o enganou: “ porei em meu trono o fruto do teu seio. Uno e idêntico é Cristo Deus, fruto do seio de Davi, isto é, da Virgem, descendente de Davi. Por isso, Maria exultando cantava: — A minha alma glorifica ao Senhor e o meu Espírito exulta em Deus, meu Salvador. Socorreu seu servo Israel, lembrando a misericórdia que prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e sua descendência.”(Adversus Haereses, Livro III p. 268 à 269, ano 130 à 220)

Por esta razão, a Santíssima Virgem Maria está definitivamente em Comunhão com NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, como nenhuma outra criatura jamais esteve ou estará.

___________

  1. Grupos cismáticos dos primeiros séculos, que dentre outras heresias, negava a Encarnação de Deus por Cristo. Segundo eles, a carne humana seria impura por sua própria natureza, desde antesda queda.
  2. http://biblehub.com/greek/4561.htm
  3. http://biblehub.com/greek/4690.htm
  4. O que era impossível à lei, visto que a carne a tornava impotente, Deus o fez. Enviando, por causa do pecado, o seu próprio Filho, numa carne semelhante à do pecado, condenou o pecado na carne, pois o primeiro homem, tirado da terra, é terreno; o segundo veio do céu.
  5. Salmo 132, na Bíblia protestante Almeida.
  6. Não é edificação habitacional, mas gerações familiares. No hebraico do AT, “casa” (bah’-yith)é seio familiar.  

 

https://www.facebook.com/cristaos.online/videos/1694807880599785/

 

 

the_lamb_of_god_christ_mother_virgin_mary-810x456

3 comentários

    1. E o que mandou Deus fazer, foi honrá-la, como o Espírito Santo proclamou por intermédio dos lábios da Santíssima: “”Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, 49.porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo.” (LC 1, 47 e 48) Abraço fraterno amigo Filipe.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s