Eucaristia

EUCARISTIA, TRANSUBSTANCIAÇÃO E MATRIMÔNIO.

Ao olharmos para esposa e esposo não vemos mais que duas pessoas distintas, carnes separadas na matéria, forma, dimensão, e dois indivíduos . Mas QUEM OUSA DUVIDAR da realidade nas Palavras de Deus, de que são UMA SÓ CARNE? É o mistério de ser UM. embora aos nossos olhos não passem de dois, como na Eucaristia. onde sangue e carne aos nossos olhos, não passam de pão e vinho.

Todo corpo natural possui matéria, forma e dimensão.

Matéria é a substância do que se compõe; a Forma é o aspecto exterior que identifica a matéria como sendo ela própria; e Dimensão é o espaço que a matéria formada ocupa, sendo essa a Lei Física de toda criação corpórea.

Mas o Corpo Místico de Cristo não está subordinado às Leis Físicas que regem sua criação, vez que sua Onipresença na Carne é operação exclusiva de sua Natureza Divina.

Ensinou S. Ambrósio, anos 339 à 370 DC:

“A Virgem gerou fora da Ordem da Natureza, e no sacramento que celebramos, está esse Corpo nascido daquela Virgem. POR QUAL RAZÃO, então, BUSCAM A ORDEM DA NATUREZA NO CORPO DE CRISTO, POSTO QUE FORA DAS LEIS DA NATUREZA NASCEU DA VIRGEM? (citado por Santo Tomás, em Suma Teológica, Q art 2° e 4° da Eucaristia)

Por não estar adstrito as leis físicas, é que o seu Corpo Humano pôde adentrar num cômodo que estava lacrado, sem se utilizar das portas:

“Estando TRANCADAS AS PORTAS, VEIO JESUS, pôs-se no meio deles” (São João 20, 26)  e ainda, andar sobre as águas. (São Mateus 14. 22 à 33)

E neste contexto, pôde ainda dar-se a si próprio no pão e no vinho Eucarístico: “Minha carne é VERDADEIRAMENTE comida, e meu sangue VERDADEIRAMENTE1 bebida.” (São João 6. 55)

Como disse o Cordeiro:

“É me dado TODO PODER no céu e na terra.” (São Mateus 28, 18)

Em sua ONIPRESENÇA, o Corpo de Cristo está na dimensão e além da dimensão; está na substância e além da substância (transubstancia); e está na forma e além da forma.

Por conta de todo Poder Divino, Onipotente e Ilimitado, é que Ele escolheu estar na Eucaristia, onde a Humanidade de Cristo e a nossa se tocam, se comunicam para restabelecer a Comunhão que nos devolverá a vida eterna e incorrupção.

Como disse Santo Tomás: – ‘o poder foi dado a quem pouco antes tinha sido crucificado, que foi sepultado no túmulo, que depois ressurgiu, isto é, a Cristo, enquanto HOMEM.” (Q 13, art. 2º do Tratado do Verbo Encarnado)

E ainda:

“Que o corpo e sangue de Cristo estão verdadeiramente no sacramento do Altar, não podemos apreendê-la NEM PELOS SENTIDOS, NEM PELO INTELECTO; MAS SÓ PELA FÉ.” (Q 75 art. 1º do Sacramento da Eucaristia)

Transubstanciar não é realizar uma alteração natural, mas supranatural.

Na transformação natural, não se pode alterar a matéria sem alterar a forma, e na alteração da matéria, os elementos originários se tornam elementos derivados, em nova forma sem perder a essência da matéria.

Assim, o trigo pela intervenção humana toma forma de pão, mantendo a mesma matéria, posto que o pão não deixa de ser o trigo modificado.

Esse é o processo contido na lei natural, e, portanto, pode ser realizado por qualquer agente comum.

Já a Transubstanciação exige AGENTE ESPECIAL com PODER INFINITO, posto que agirá fora da lei natural, sem se limitar pela matéria, forma ou dimensão, como no episódio em que Cristo atravessou o local fechado sem adentrar pela porta. (São João 20, 26)

Transubstanciar é alterar a matéria sem alterar a forma, e ainda, de estar na dimensão como matéria e forma, e simultaneamente além delas, o que para o agente comum é algo absolutamente impossível e contrário à Lei da Física.

O sacramento Eucarístico é um ato sobrenatural, posto que altera a matéria tornando o pão e o vinho corpo e sangue de Cristo, sem  alterar a forma das espécies originárias, e sem se limitar ao espaço dimensional do Altar.

Nas Escrituras temos outro caso dessa agência extraordinária de Deus na ordem física que é o MATRIMÔNIO.

Dois sacramentos, Eucaristia e Matrimônio, muito próximos por expressarem a COMUNHÃO EXTRANATURAL COM DEUS.

“Eles já NÃO SÃO DOIS, MAS SIM UMA SÓ CARNE. Portanto, O QUE DEUS UNIU O HOMEM NÃO SEPARE.” (São Marcos 10. 8 e 9)

De certo que ao olharmos para a esposa e o esposo não vemos mais que duas pessoas distintas, duas carnes separadas na matéria, forma, dimensão e dois indivíduos distintos.

Mas QUEM OUSA DUVIDAR da realidade nas Palavras do Cordeiro de Deus, dizendo que Ele os une, esposa e esposo, NUMA SÓ CARNE?

O Matrimônio Sacramental é o mistério de ser UMA SÓ CARNE, embora aos nossos olhos não passem de dois seres.

É como na Eucaristia onde o sangue e a carne Mística do Cristo, aos nossos olhos, não passam de pão e vinho.

Conforme a Metafísica Aristotélica-Tomista, não vemos nos objetos a sua essência ou substancia, mas apenas os seus acidentes.

Quando olhamos as águas marinhas, nosso sentido visual discerne uma coloração azulada. Mas o que discernirmos pela percepção sensível é falso, pois o azul não está na água essencialmente incolor. O que vemos é apenas um acidente, um reflexo do azul celestial.

Tem-se por acidente tudo que pode ser agregado ou retirado, sem alterar a natureza do ser ou do objeto.

A água não deixa de ser o que é, se por algum momento não refletir o azul do céu.

Na Eucaristia, o que nossos sentidos captam são apenas os acidentes do pão e do vinho, que após a consagração já não estão lá, como substancia, e sim como acidentes, reflexo do que outrora fora alimento comum, e que agora é verdadeiramente Corpo e Sangue de Cristo.

O Apóstolo ainda utiliza a união indissolúvel em uma única carne do homem e da mulher no Matrimônio, para explicar a relação indissolúvel de Cristo com sua Igreja:

“pois o marido é o chefe da mulher, como Cristo é o chefe da Igreja, SEU CORPO, da qual ele é o Salvador.” (Efésios 5, 23)

“Certamente, ninguém jamais aborreceu a sua própria carne; ao contrário, cada qual a alimenta e a trata, como Cristo faz à sua Igreja.” (Efésios 5, 29)

E assim, Cristo deixou claro o Dogma Eucarístico:

  1. JESUS REPLICOU: EU SOU O PÃO DA VIDA: aquele que vem a mim não terá fome, e aquele que crê em mim jamais terá sede.
  2. Mas já vos disse: Vós me vedes E NÃO CREDES.
  3. MURMURAVAM ENTÃO DELE OS JUDEUS, porque dissera: Eu sou o pão que desceu do céu. 42. E perguntavam: Porventura não é ele Jesus, o filho de José, cujo pai e mãe conhecemos? ‘COMO, POIS, DIZ ELE: DESCI DO CÉU?
  4. Respondeu-lhes Jesus: Não murmureis entre vós.
  5. Em verdade, em verdade vos digo:QUEM CRÊ EM MIM TEM A VIDA ETERNA.
  6. EU SOU O PÃO DA VIDA.
  7. EU SOU O PÃO VIVO QUE DESCEU DO CÉU. QUEM COMER DESTE PÃO VIVERÁ ETERNAMENTE. E O PÃO, QUE EU HEI DE DAR, É A MINHA CARNE PARA A SALVAÇÃO DO MUNDO.
  8. essas palavras, os judeus começaram a discutir, dizendo: COMO PODE ESTE HOMEM DAR-NOS DE COMER A SUA CARNE? 
  9. Então Jesus lhes disse: EM VERDADE, EM VERDADE VOS DIGO: SE NÃO COMERDES A CARNE DO FILHO DO HOMEM, E NÃO BEBERDES O SEU SANGUE, NÃO TEREIS A VIDA em vós mesmos.
  10. QUEM COME A MINHA CARNE E BEBE O MEU SANGUE TEM A VIDA ETERNA; e eu o ressuscitarei no último dia.
  11. POIS A MINHA CARNE É VERDADEIRAMENTE UMA COMIDA E O MEU SANGUE, VERDADEIRAMENTE UMA BEBIDA.
  12. QUEM COME A MINHA CARNE E BEBE O MEU SANGUE PERMANECE EM MIM e eu nele.
  13. Assim como o Pai que me enviou vive, e eu vivo pelo Pai, assim também aquele que comer a minha carne viverá por mim.
  14. Este é o pão que desceu do céu. Não como o maná que vossos pais comeram e morreram. QUEM COME DESTE PÃO VIVERÁ ETERNAMENTE.
  15. TAL FOI O ENSINAMENTO DE JESUS NA SINAGOGA DE CAFARNAUM.
  16. MUITOS DOS SEUS DISCÍPULOS, OUVINDO-O, DISSERAM: ISTO É MUITO DURO! QUEM  PODE ADMITIR?
  17. SABENDO JESUS QUE OS DISCÍPULOS MURMURAVAM POR ISSO, PERGUNTOU-LHES: ISSO VOS ESCANDALIZA? 
  18. QUE SERÁ, QUANDO VIRDES SUBIR O FILHO DO HOMEM PARA ONDE ELE ESTAVA ANTES?
  19. O Espírito é que vivifica, a carne de nada serve. As palavras que vos tenho dito são espírito e vida.
  20. Mas HÁ ALGUNS ENTRE VÓS QUE NÃO CRÊEM, pois desde o princípio Jesus sabia quais eram os que não criam e quem o havia de trair.
  21. Ele prosseguiu: Por isso vos disse: Ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lho for concedido.
  22. DESDE ENTÃO, MUITOS DOS SEUS DISCÍPULOS SE RETIRARAM E JÁ NÃO ANDAVAM COM ELE.
  23. ENTÃO JESUS PERGUNTOU AOS DOZE: QUEREIS VÓS TAMBÉM RETIRAR-VOS?68. Respondeu-lhe Simão Pedro: SENHOR, A QUEM IRÍAMOS NÓS? TU TENS AS PALAVRAS DA VIDA ETERNA.69. E NÓS CREMOS E SABEMOS QUE TU ÉS O SANTO de Deus!”

A Comunhão Eucarística é fundamental para a ressurreição da carne:

“QUEM COME A MINHA CARNE E BEBE O MEU SANGUE TEM A VIDA ETERNA; e EU O RESSUSCITAREI NO ÚLTIMO DIA.” (São João 6, 54)

Sendo o ser humano espírito e matéria, a salvação é para alma e corpo, razão pela qual, negar-se a Eucaristia é negar-se à ressurreição da carne, sem a qual não nos é possível a salvação.

Deus não salvará apenas as almas, dado que o ser humano é formado da união indissolúvel entre corpo e alma.

O que nos alimenta com vida eterna é a Encarnação sacrificada em seu Corpo dado em Comunhão conosco, como num MATRIMÔNIO.

Dissesse simbolicamente ser a sua carne e sangue, alimentos, não haveria motivo para vários dos seus discípulos se escandalizarem, e abandoná-lo.

O asco dos cafarnaístas decorre justo porque compreenderam a realidade nas palavras do Cristo, mas não quiseram aceitar.

Daí supunham a prática de canibalismo.

Gerou-se toda confusão pelo fato de que ao verem o Cristo, não viam Deus Encarnado, senão apenas um “homem comum” e nada além de carne e sangue humano natural:

“COMO PODE ESTE HOMEM DAR-NOS DE COMER A SUA CARNE? (São João 6, 52)

Mas Jesus de imediato os corrige:

O ESPÍRITO É QUE VIVIFICA, A CARNE DE NADA SERVE.” (São João 6. 32)

O Espírito Divino, aliado a sua Natureza Carnal (e não a Natureza Carnal isoladamente), que possibilita o mistério prodigioso do sacramento Eucarístico, pois “a carne de nada serviria, sem estar unida à Divindade.

Ora, o festim canibal é alimentar-se de indivíduo da mesma espécie.

Mas a Carne do Cristo é superior pelo Espírito Divino ou Natureza Divina como lecionou Santo Tomás:

“O corpo de Cristo NÃO ESTÁ neste sacramento do mesmo modo por que um corpo está num lugar, COMENSURADO PELAS DIMENSÕES LOCAIS; mas de um modo especial próprio a este sacramento. Por isso, dizemos que o corpo de Cristo está em diversos altares.” (Suma Teológica, Q 75, art. 2º da Eucaristia)

Superior porque só Ele consegue retirar a essência das espécies do pão e vinho sem alterar a forma, estando além da substância, como explica o Doutor Angélico:

Isto é o meu corpo.” O que não seria verdade se a substância do pão aí permanecesse; pois, nunca a substân­cia do pão é o corpo de Cristo.” (Suma Teológica, Q 75, art. 2º da Eucaristia)

Crer na Eucaristia exige crer que a comunhão do ser humano com Cristo se opera em realidade, e em corpo e alma inseparavelmente.

_____________________________________

[1] O termo verdadeiramente no grego é aléthés (ἀληθής),1 o qual emprega sentido real, não simbólico.

Comparemos:2 — “tu és VERDADEIRAMENTE(ἀληθής) O FILHO DE DEUS.” (Mt 14, 33);

E ainda: — “Eu sou a VIDEIRA VERDADEIRA(ἀληθής)3 (Jo 15. 1).

Cristo também utilizou metáforas, comparando-se, por exemplo, a uma “porta:

“Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas(Jo 10, 7)

Mas a palavra “verdade” aí empregada é AMÉN4 (ἀμήν) que é a confirmação de uma ideia, e não de uma realidade  fática, como aléthés (ἀληθής).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s